Concurso African House

Memorial:
 

Na Tanzânia, construir com terra representa o passado e está associado a más condições de vida. Os materiais e técnicas tradicionais adaptados ao meio ambiente são abandonados em favor da importação de materiais e produtos caros e às vezes ineficientes em termos de energia, como blocos de concreto, dos quais apenas os fabricantes de economias mais avançadas se beneficiam. O projeto visa trazer de volta à terra como um material de construção moderno, sustentável, de fácil execução, para continuar a tradição de construção rural local.

 

A residência Jorejick fornece diferentes tipos de espaços, para promover o uso adaptado ao cotidiano da família e seus costumes. Cercada por paredes de tijolos feitos da terra do próprio terreno, com um eixo de circulação ligando a sala de estar e cozinha, existe um grande pátio central de acesso aos dormitórios. Tal pátio fornece insolação e ventilação para todos os ambientes, além ser uma área de convivência e encontro da família, proporcionando um local para a cozinha aberta.

 

A planta da casa principal, tem o formato circular para remeter a história das primeiras cabanas. Tal formato proporciona o encontro entre seus usuários, unindo a família em sua nova casa. A cobertura em telha metálica e com inclinação para a área central, recolhe as águas pluviais e abastece a cisterna. Está localizada entre a casa e a latrina, pois assim com um sistema de bombeamento mecânico pode retornar água limpa para a cozinha, chuveiros e banheiros.

 

A latrina se encontra na cota mais baixa do terreno. O sistema de saneamento não usa água, mas uma mistura de materiais secos visando a compostagem, transformando os dejetos em adubo. Tal processo elimina bactérias causadores de doenças presentes nas fezes e o mal cheiro. A urina e as águas cinzas, são usadas para irrigar um círculo de bananeiras, que absorvem os nutrientes destes líquidos.

 

Portanto o projeto tem como base dois materiais: solo escavado do terreno e madeira coletada localmente. Tal metodologia de produção local, oferece a possibilidade de empregar material nativo e o mesmo solo escavado para a construção de paredes. Além de sua capacidade estrutural, a os tijolos de terra regulam a umidade e a temperatura interna, economizando energia e reduzindo a poluição ambiental. O artesanato local pode ser encontrado, entre outros, nas portas de ciprestes e no mobiliário da cozinha e sala, como forma de promover e fortalecer a participação dos artesãos locais, além de conscientizar o valor do patrimônio cultural.

LCAC Arquitetura                                                               Rua Atuau, 127  - Pinheiros/ São Paulo                                                     (11) 3032 4822                     

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Instagram Icon